No dia 12 de maio, é comemorado o Dia Mundial da Enfermagem. Para celebrar tal data, a equipe de profissionais da Policlínica Cruz Preta/Engenho Novo organizou a Semana da Saúde, que ocorreu nos dias 12 e 13 de maio de 2016.

O trabalho em equipe expressou-se na afinidade, respeito e organização das pessoas envolvidas, para que este evento fosse um grande sucesso e comprometido com a humanização.

Foi escolhido, pelos próprios profissionais, o tema “Acolhimento e Humanização em Saúde”, que permeou todas as atividades desenvolvidas.

Optou-se por tal tema em razão da importância do exercício de uma prática humanizadora e de acolhimento nos serviços de saúde, quando o objetivo é oferecer o melhor atendimento possível, tanto para o usuário, quanto para o profissional.

Humanização, no campo da saúde, refere-se ao compromisso e corresponsabilidade dos gestores, profissionais e usuários do serviço; ao processo de produção de saúde e de subjetividades autônomas e protagonistas; e à organização social e institucional das práticas de atenção e gestão na rede do Sistema Único de Saúde.

Acolhimento, por sua vez, é uma das diretrizes da Política Nacional de Humanização (PNH) e constitui uma postura ética que implica na escuta do usuário, no reconhecimento de seu protagonismo no processo de saúde e adoecimento, e na responsabilização pela resolução, com ativação de redes de compartilhamento de saberes. Acolher é um compromisso de resposta às necessidades dos cidadãos que procuram os serviços de saúde.

Tanto a humanização quanto o acolhimento devem ser praticados diariamente por todos os funcionários do serviço (controlador de acesso, recepcionistas, equipe de limpeza e profissionais da saúde), com o objetivo de acolher o usuário em seu sofrimento, medos, dúvidas e dificuldades e lhe oferecer o melhor atendimento possível ao sujeito em sofrimento.

O dia 12 de maio teve início com a palestra de Priscila Yamaguchi, farmacêutica da Policlínica Cruz Preta/Engenho Novo, que falou sobre Assistência Farmacêutica, cujo objetivo é implantar o Programa de Atenção Farmacêutica (PAF) juntamente à equipe multiprofissional, oferecendo aos usuários o serviço do profissional farmacêutico, promovendo a conscientização relativa ao uso racional de medicamentos, de forma acolhedora e humanizada, tanto individual ou coletivamente, abordando assuntos gerais e específicos.

Em seguida, Antônio, enfermeiro do Hospital Geral de Itapevi, ministrou uma palestra sobre os Sistemas de Classificação de Risco e Acolhimento. Relatou que, para garantir a segurança do paciente e a qualidade do atendimento, foi implantado, no HGI, o Sistema Manchester de Classificação de Risco, o qual visa determinar a prioridade clínica dos pacientes, garantindo que o atendimento médico ocorra no tempo adequado.

Após as palestras, foi exibido um vídeo, idealizado e produzido pela equipe da Policlínica Cruz Preta/Engenho Novo, cujo objetivo foi demonstrar a ausência de acolhimento e de atendimentos humanizados em diversos dispositivos de saúde e seus efeitos deletérios na relação com o usuário. Ao final do vídeo, passou-se uma mensagem, ressaltando a importância da humanização em saúde, tal como vem sendo promovida em na Unidade por todos os profissionais.

No dia 13 de maio, sexta-feira, o evento teve início com a palestra do enfermeiro e docente, Laércio Costa, cujo tema era Contaminação por Material Biológico. Destacou a importância do descarte correto de materiais pérfuro-cortantes, orientando toda equipe a prevenir ocorrência de futuros acidentes.

No período da tarde, a equipe da Policlínica Cruz Preta/Engenho Novo recebeu os palestrantes Nicolas Brito Sales e Anita Brito e Alexsander Sales. O tema da palestra foi “Transtorno do Espectro do Autismo (TEA): A importância da socialização”.

Desde 2011, Nicolas, junto a sua mãe, percorrem várias instituições para dar palestras sobre como é ser autista e estar inserido na sociedade e na escola regular. Anita Brito e Alexsander Sales iniciaram a palestra compartilhando com os presentes, as dificuldades enfrentadas durante os primeiros anos de vida de Nicolas, quando este já apresentava alguns sintomas autísticos. Ressaltaram a importância do atendimento humanizado nos serviços públicos de saúde, acolhendo o usuário em toda sua complexidade humana e fragilidade nas situações de adoecimento.

Todos se sensibilizaram bastante com a história de vida desta família: riram, choraram, refletiram e, sem dúvidas, todos saíram mais humanizados desta palestra tão enriquecedora.

O diretor Técnico de Saúde do IBRAGESP e diretor clínico da Policlínica Cruz Preta/Engenho Novo, Dr. Tomás P. Smith Howard, avaliou que a Primeira Semana de Saúde foi um sucesso de integração e confraternização entre todos os colaboradores junto ao corpo administrativo. Foram momentos de compartilhamento de informações e aperfeiçoamento profissional, e que os indicadores de sucesso deve-se a equipe multiprofissional integrada.

Deixe seu comentário

Parceiros